CFM - Caminhos de Ferro de Moçambique

Reunião de Directores 2018 Eng MatabelO ambiente de negócios em Moçambique foi animador para a empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique em 2017, onde dados remetem ao retorno gradual dos indicadores económicos e financeiros que se haviam degradado substancialmente no ano de 2016, designadamente, a inflação, a taxa de câmbio e o PIB. As projecções do Banco de Moçambique apontam para uma inflação estável na ordem de 1 dígito, para o presente ano de 2018.

Esta constatação foi apresentada durante o Conselho de Directores pelo Presidente do Conselho de Administração da empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique, Eng. Miguel Matabel que, consubstanciou com a oferta, cada vez mais crescente dos tráfegos, principalmente nas Linhas de Ressano Garcia, Limpopo e Goba (no Sul) e, Linha de Sena (no Centro) que contribuiu na obtenção dos resultados operacionais satisfatórios em 2017.

O Eng. Matabel destacou que o desempenho operacional dos CFM foi positivo na medida em que, " i) no Sistema Ferroviário sob gestão do CFM, transportou cerca de 11 milhões de Toneladas líquidas contra cerca de 10 milhões de Toneladas transportadas em 2016, o que representa um crescimento de 22% e um nível de execução de 105% em relação ao planeado. ii) No Sistema Portuário, igualmente sob gestão dos CFM, foram manuseados cerca de 6.3 milhões de toneladas métricas, contra 6.1 milhões de toneladas métricas manuseadas em 2016, o que representa um crescimento de 2.4% e um nível de execução de 95% em relação ao planeado".

No que se refere aos Resultados Operacionais provisórios, em 2017, estes situaram-se em cerca de 4.1 mil milhões de meticais contra cerca de 3.3 mil milhões do ano de 2016, representando um crescimento na ordem de 24% e um incumprimento do plano em cerca de 4%.

Estes resultados são os que os animam e encorajam a empresa a redobrar o foco em investimentos para melhor aproveitamento das oportunidades de negócios que se encontram a vista. Para o efeito, os CFM vão efectuar aquisição de 5 Locomotivas que deverão ser entregues até Novembro deste ano, entre outras acções que visam o aumento da rentabilidade da empresa.

Ciente de que o nível de investimentos em activos na área de actividades demanda elevadas aplicações financeiras, os CFM vão adoptar como estratégia de actuação busca de soluções financeiras internas ou de parceiros.

Na ocasião, o Eng. Matabel lembrou que a responsabilidade, compromisso e desafio dos CFM é de fazer com que a empresa continue a registar índices positivos de crescimento e possa corresponder à grandeza da sua dimensão centenária. Sublinhou que a palavra “crise” não deve constituir justificativa, mas sim, munir dos ferroviários de mais ideias para superar e fazer mais e mais.


A apresentação destes dados pretende estimular o comprometimento de todos os gestores dos CFMs que, por sua vez, irão transmitem aos demais colaboradores, aqueles que são os operadores deste “comboio” que se deseja que circule em boas condições de segurança em todos os sentidos, e que continue a trazer rendimentos satisfatórios não só para a empresa, em particular, mas sim para todo o país, em geral.

O Plano Estratégico trienal aprovado serve de instrumento orientador para cada director, o qual se espera esteja em condições de assumir e apresentar uma proposta de actividades alinhadas com esse Plano Estratégico, proposta essa traduzida num cronograma bem definido, passível de monitoria e avaliação contínuas, de modo a possibilitar as devidas melhorias. Ou seja, espera-se dos directores, uma actuação coordenada e alinhada com as directrizes do Plano Estratégico onde constam as orientações para cada um dos anos (2018, 2019 e 2020).

Conselho de Directores 2018 Foto 2O XXII Conselho de Directores dos CFM foi aberto pelo Ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita e reuniu os Membros do Conselho Directivo da empresa, entre os Membros do Conselho de Administração, Gestores Séniores, Consultores, Assessores e Técnicos Superiores, e privilegiou um debate aberto sobre as questões relativas à actividade da empresa, tendo como objectivo a avaliação do desempenho, a definição, aperfeiçoamento e adopção de novas práticas e estratégias de gestão da empresa, com vista a melhorar a sua produção e produtividade.

Durante a sessão, foi anunciada a implementação à vista da Nova Estrutura de Carreiras Profissionais nos CFM que visa a obtenção de maior envolvimento e motivação no capital humano, facto que se acredita que irá influenciar positivamente no desempenho produtivo da empresa.