CFM - Caminhos de Ferro de Moçambique

Caminhada 29 Julho 2017 Em celebrações ao 122º Aniversário do Dia dos CFM que se assinalou a 8 de Julho último, os CFM lançaram, no passado dia 29 de Julho de 2017, à escala nacional, a Campanha de Segurança Ferroviária e conservação das infraestruturas ferroviárias.

Com enfoque “acidente zero na linha ferroviária”, a campanha sobre a segurança ferroviária iniciou com uma caminhada seguida de actividades físicas e aeróbicas, conselhos sobre uma alimentação saudável, entre outras actividades de responsabilidade social dos CFM, que contaram com a participação do Ministro dos Transportes e Comunicações, o Governador de Tete e do Presidentes do Conselho de Administração (PCA) dos CFM, Eng. Miguel Matabel.

Caminhada 29 Julho 2017 TodosA caminhada percorreu a baixa da Cidade de Maputo, particularmente nas avenidas 25 de Setembro, 10 de Novembro e Rua Gungunyane com início na Praça dos Trabalhadores, terminando no Campo do Clube Ferroviário, envolvendo os trabalhadores dos CFM como forma de valorização e motivação pelo seu empenho e o público em geral numa acção de responsabilidade social e corporativa.

Para o titular da pasta de Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita os investimentos que estão a ser feitos pelo Governo em todos sectores em geral, e em particular no sector dos transportes e comunicações devem ser acompanhados com fortes medidas de segurança para garantir a sua sustentabilidade. Trata-se de investimentos com impacto na economia nacional e regional no quadro dos esforços de construção e melhoramentos de infraestruturas na SADC.

O Ministro juntou-se à iniciativa do CFM para manifestar o seu cometimento na valorização e conservação dos avanços alcançados neste sector que para além da sua significativa contribuição na balança de pagamentos, projecta a imagem de Moçambique em progresso. Feitos que testemunham a consolidação do desiderato de um desenvolvimento sustentável e inclusivo pelo qual o país está comprometido a nível doméstico e global.

Por seu turno, o PCA dos CFM, Engº Miguel Matabel disse esperar a máxima colaboração dos utentes dos serviços ferro-portuários, sobretudo dos passageiros e residentes ao longo das linhas férreas.

Caminhada 29 Julho 2017 PCA“A nossa meta é acidente zero e é por isso que estamos aqui para reforçar este apelo. Ao nível da empresa estamos apostados em reforçar todo o tipo de medidas de segurança junto com as tripulações de forma que tenhamos descarrilamento zero”, disse Engº Miguel Matabel.

Os comboios de passageiros por exemplo, estão equipados com todos meios básicos para garantir conforto e segurança de passageiros para além de iluminação em todas carruagens. Constitui elemento essencial a comunicação entre a tripulação e as estações o que permite pronto atendimento pontual dos passageiros em caso de uma doença repentina. 

Entre outras causas que preocupam à segurança ferroviária, constam a retirada de balastos (pedras), depósito de lixo e sentar-se ao longo das linhas férreas, má travessias de pessoas, veículos e animais nas passagens de nível com guarda e sem guarda e outras passagens improvisadas por automobilistas sem sinalização e pendura de passageiros nas locomotivas de transportes de pessoas. Acrescem a lista de riscos sobre segurança ferroviária, a tentativa de sabotagem ou roubo nos vagões de transporte de mercadorias de bens da primeira necessidade, como o açúcar, por exemplo, nas curvas ou noutros locais onde os comboios são obrigados a passar com velocidade reduzida.

Os CFM lançaram a campanha, que terá a sua réplica à nível nacional, para evitar todo o tipo de acidentes ferroviários, muitas vezes causados pelo erro humano como maquinistas, passageiros e residentes ao longo das linhas férreas.