CFM - Caminhos de Ferro de Moçambique

1 Feira do MuseusO átrio da Estação Central da Empresa Porto e Caminho de Ferro de Moçambique (CFM) na Cidade de Maputo acolheu, de 18 a 20 de Maio de 2017, a 1ª Edição da Feira dos Museus e Património Cultural da Cidade de Maputo, em celebração do Dia Internacional dos Museus, que se assinalou no dia 18 de Maio sob o lema, “Museus e Histórias Controversas: Dizendo o indizível em Museus”.

O evento, que se realizou pela primeira vez em Moçambique, e um ano após a inauguração do Museu dos CFM, integrou um conjunto de eventos que serviu de uma plataforma didáctica entre os museus e os estudantes. A iniciativa permitiu ainda que os estudantes de todos níveis encontrassem nos museus e instituições relacionadas, alternativas didácticas e interactivas capazes de contribuir para o seu desenvolvimento como cidadãos.

Tratou-se de uma ocasião para um maior reconhecimento dos museus moçambicanos e instituições relacionadas, com enfoque de expressão cultural, como espaços de preservação, valorização e promoção do património cultural moçambicano, tornando-o mais participativo no processo de desenvolvimento nacional e mais atractivo e competitivo ao nível regional e continental e intercontinental.

1 Feira do Museus Foto VisitaO evento organizado pelo Museu do CFM contemplou um programa diversificado que incluiu workshops, visitas orientadas e/ou guiadas, projecção de audiovisuais em diferentes formatos, concertos musicais em espaços dos museus, exposição de obras e artigos que espelham o património cultural de Moçambique e cada expositor teve a oportunidade de mostrar aos milhares de visitantes o seu acervo, programas e actividades desenvolvidas.

A 1ª Feira dos Museus e Património Cultural de Moçambique, iniciativa do Museu dos CFM, contou com cerca de participação de 20 expositores, entre outros, Galeria de Arte da Universidade Eduardo Mondlane, Museu da Moeda, Fortaleza de Maputo, Museu da História Natural, Museu Nacional de Arte, Museu das Pescas, Arquivo do Património Cultural (ARPAC), Instituto Nacional do Turismo, Escola Nacional de Música, Companhia Nacional de Canto e Dança, Teatro Mutumbela Gogo, Centro de Documentação e Formação Fotográfica, teatro Avenida, Biblioteca Central do Conselho Municipal da Cidade de Maputo, Biblioteca Nacional, Escola Nacional de Artes Visuais, Letra Bonita e Macarte.

1 Feira do Museus Foto InauguracaoA cerimónia de abertura da Feira dos Museus foi presidida pelo Secretário Permanente do Ministério da Cultura e Turismo, Domingos Artur que enalteceu o evento tendo afirmando que a iniciativa dos CFM demonstra que em Moçambique há um comprometimento das instituições na criação e promoção dos museus para a contribuição da história e preservação da nossa identidade cultural. Pelo efeito, felicitou aos CFM e aos expositores no evento.

Os CFM pretenderam com esta iniciativa e em aproveitamento do Dia Internacional dos Museus, de forma resumida dar a conhecer ao público nacional e internacional, sobre os museus existentes na capital do país, suas especificidades e requisitos de acesso.
Após a criação do Museu nos CFM na Cidade de Maputo, os CFM pretendem expandir a experiência através de criação de núcleos em outros locais do país de forma a captar mais pública para o conhecimento dos museus locais, em geral e da história dos Caminhos de Ferro de Moçambique, em particular.

O Dia Internacional dos Museus foi criado em 1977 pelo Conselho Internacional de Museus (ICOM), como um momento especial para a comunidade mundial dos museus. Neste dia, os museus participantes interpretam um tema relacionado às instituições culturais considerando-se de uma oportunidade maravilhosa para os profissionais de museus aproximarem-se de seus públicos e divulgarem o papel dos museus para a sociedade.

Inaugurado a 11 de Junho 2015 com a missão de retractar e difundir a história dos Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique, como parte da História de Moçambique, o Museu dos CFM tem como principais objectivos o estudo, a documentação, a conservação e divulgação do acervo em sua posse, bem como a valorização da Estação Ferroviária de Maputo e a preservação da sua memória.

O museu integra-se na responsabilidade social dos CFM e tem em vista a contribuir para a preservação da memória colectiva do país tendo em conta que parte significativa de infra-estruturas e até da expansão de urbanização em muitos locais do país devem ao traçado das linhas férreas que o país teve desde o passado.

A gestão do Museu dos CFM, que se pretende que no futuro tenha núcleos em vários pontos relevantes para a história da empresa nas zonas Sul, Centro e Norte do país, pauta pelo um modelo de sustentabilidade através de contribuição dos seus visitantes e venda de artigos de promoção institucional e outras doações.