CFM - Caminhos de Ferro de Moçambique

Expo Samora 30 anosO Museu da Empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique- CFM, promove, desde o dia 19 de Outubro corrente, uma exposição em homenagem ao 30⁰ aniversário da morte do primeiro Presidente de Moçambique independente.

A Exposição, sob o lema “SAMORA MACHEL E OS PORTOS E CAMINHOS DE FERRO DE MOÇAMBIQUE” está patente no átrio da Estação dos CFM, na cidade de Maputo, até finais do corrente ano.

 

Expo Samora BeiraEsta Exposição que resulta de uma imensa recolha de imagens das várias visitas efectuadas pelo Presidente Samora Machel aos Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique, conta uma parte importante da história do nosso País.
A nossa fonte do Museu dos CFM narra que, a 23 de Março de 1977, Samora visitou o Porto de Maputo. No início de 1980, esteve no Complexo Ferro-Portuário de Maputo e, posteriormente, visitou os Portos da Beira e de Nacala, ao longo dos anos 80.

 

“A 8 de Outubro de 1986, onze dias antes da sua trágica morte em Mbuzini, o Presidente Samora foi ao Porto de Nacala. Estes são algumas das referências históricas que ligam os CFM ao Presidente Samora Machel. Factos que poderiam parecer episódios isolados, mas que sublinham a importância que este sector estratégico tinha na afirmação de um novo Estado e num contexto de libertação do Zimbabwe ou do combate ao Apartheid na África do Sul.” Os tráfegos ferro-portuários também fazem, ao longo destes anos, o registo gráfico da histórica política, económica, social e cultural de Moçambique e da África Austral. A fonte adianta que “o Presidente Samora Machel intuiu sempre e interpretou a importância decisiva dos Portos e Caminhos de Ferro para o nosso País e os países do seu hinterland natural, mas não só. Utilizou este e outros instrumentos para a afirmação ascensional de Moçambique e dos valores mais altos da liberdade política e económica, social e cultural, desta pátria pela qual verteria o seu sangue a 19 de Outubro de 1986.”