CFM - Caminhos de Ferro de Moçambique

seminarioPatrimonioO Presidente do Conselho de Administração da Empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM), Dr. Víctor Pedro Gomes procedeu, no passado dia 17 de Agosto, a abertura do Seminário de Apresentação e divulgação do Modelo de Dados e o Manual de Procedimentos Transitórios do inventário do imobilizado dos CFM, acto que marcou o arranque oficial do inventário de todo o património da empresa incluindo o que está sob a gestão das Concessionárias.

Víctor Gomes justificou a medida como sendo necessária devido, sobretudo, ao profundo processo de reestruturação institucional por que a empresa passou, com a integração do sector privado e o consequente alargamento da sua base de investimentos. Assim, “pela dimensão, quantidade, valor e dispersão dos seus Activos, incluindo os que estão sob regime de concessão, mostra-se fundamental para a empresa, e com base na Lei, proceder-se ao inventário e avaliação regular desses activos, bem como assegurar mecanismos para o seu melhor controlo e gestão quer, a nível físico, quer contabilístico, de modo a se conferir uma maior transparência e accountability, dois conceitos que estão intrinsecamente ligados a gestão das organizações”- asseverou o PCA do CFM.

A implantação deste Modelo, que conta com a consultoria de uma empresa especializada em gestão de activos e com sólida experiência em empresas de Caminhos de Ferro e de Portos, envolve, dentre outros aspectos, uma série de formação com vista a garantir que cada um dos centros analíticos tenha capacidade para gerir convenientemente os bens a si adstritos, facto que fez com que Victor Gomes apelasse aos participantes um envolvimento activo no Seminário de modo a que “saiamos daqui com clareza sobre os princípios básicos do Modelo, os seus objectivos e a devida explicação sobre como usar as ferramentas deste Modelo de Dados e o Manual de Procedimentos Transitório do imobilizado corpóreo dos CFM de forma eficaz e eficiente”.

Com a montagem de um sistema desta dimensão, os CFM nunca mais precisarão de fazer um trabalho de fundo de inventariação do seu património que, dentre vários, se incluem as estações espalhadas ao longo das linhas férreas.

estacao centralRefira-se que a Estacão Central de Maputo, inaugurada em Março de 1910, foi escolhida pela prestigiada Revista norte americana “Newsweek” como a 7ª mais bela do mundo, num ranking que inclui todas as infra-estruturas do género em todo o mundo, das mais modestas às mais famosas.

Junto a esta Estacão foi inaugurado, recentemente, pelo Presidente da Republica, o Museu dos Caminhos de Ferro onde estão expostos diversos artigos marcando a história desta robusta centenária empresa. O Museu dos Caminhos de Ferro tem uma programação activa, com exposições temporárias, animação cultural, debates e várias acções dos Serviços Educativos, vocacionados para as escolas e o público infanto-juvenil. Para além disso, o público poderá visitar uma Exposição Permanente, que tem uma extensa cronologia desde o seculo XIX até aos dias de hoje. O pós-independência tem destaque com um contexto histórico, a evolução dos tráfegos ferroviários e dos portos moçambicanos, os corredores de Maputo, Beira e Nacala, e a transformação da empresa, na última década do século passado.

Os CFM são uma Empresa pública que tem por objecto o transporte ferroviário de pessoas, bens e a prestação de serviços portuários, subordinando-se ao Ministério dos Transportes e Comunicações.