CFM - Caminhos de Ferro de Moçambique

CFM-120anosFoi exactamente há 120 anos que Moçambique começou a explorar as vantagens da sua localização geo-estratégica diante dos países do hinterland, através dos Caminhos-de-ferro. Isso mesmo, foi a 8 de Julho de 1895 que o primeiro comboio apitou partindo de Lourenço Marques – Lagoa bay (hoje Maputo) com destino a Transvaal - na África do Sul.

A partir dessa data, não mais parou… construíram-se outras linhas; traçaram-se outros destinos até chegarmos hoje com a cobertura ferroviária em todo o território nacional, que contempla três sistemas, nomeadamente, Norte, Centro e Sul.

O Conselho de Administração do CFM dedica hoje esta página de Internet a todos os trabalhadores da empresa cuja história de heroicidade se confunde com a trajectória da construção da nação moçambicana.

parabens aos trabalhadoresOs Caminhos de Ferro de Moçambique contribuíram na penetração ao interior, através da ligação rodoviária e no provimento dos transportes em Moçambique, nos anos 1930, com a criação da Camionagem Automóvel. Do mesmo modo, os CFM estão na origem da indústria da aviação civil em Moçambique, com a criação, em meados da década de 30, do Século passado, da Ex-DETA  (Divisão de Exploração dos Transportes Aéreos), que mais tarde se transformou em LAM (Linhas Aéreas de Moçambique).

 


terminalcombustiveismaputoA nossa empresa vive, hoje, um novo contexto caracterizado por uma transformação estrutural profunda, onde operadores privados, nacionais e estrangeiros, dão a sua participação ao sistema acompanhando a dinâmica do crescimento económico do País perante os desafios do futuro.

O nosso aniversário dos 120 anos coincide com os 40 anos da Independência nacional, facto que nos enobrece pois sentimo-nos, à semelhança dos outros, parte da história de Moçambique. Em 40 anos de Independência Nacional, fomos construindo a Nação através das ferrovias e rede portuária.

ultimo pagrafoParabéns aos CFM!;
Parabéns aos seus Trabalhadores! Que a história, parafraseando o Presidente da República, “continue a acontecer nos Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique e seja sempre presenciada e sirva de referência”.

Para celebrar a efeméride, para além da Galardoação dos Trabalhadores que se distinguiram no CFM nas várias frentes de trabalho, o Museu do CFM preparou uma série de actividades das quais se incluem visita guiada aos trabalhadores, para que estes rememorem a história da empresa através de imagens iconográficas.