CFM - Caminhos de Ferro de Moçambique

reuniaodirectores1 Decorreu, nos dias 8 e 9 de Março de 2015, na cidade de Maputo, o XIX Conselho de Directores da Empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM), cujo objectivo era de fazer uma "radiografia" completa da gestão da Empresa e traçar directrizes para as acções futuras, sobretudo, numa altura em que a economia mundial está-se caracterizando por uma crise financeira que vem impactando, também, no sector de logística de transportes ferro-portuária.

Falando na sessão de Abertura, o Presidente do Conselho de Administração do CFM, Dr. Victor Pedro Gomes, embora mostrando cautela quanto ao futuro que se espera por causa deste cenário, informou que, nos últimos seis anos, a empresa que dirige apresenta uma taxa média de crescimento ferroviário na ordem de 25% e do crescimento portuário, de cerca de 22%.


reuniaodirectores2Victor Gomes exemplificou o ano de 2014, em que as operações ferro-portuárias arrecadaram cerca de dois mil, seiscentos e vinte e cinco milhões de meticais o que representa um crescimento de 41% quando comparado aos resultados de 2013. “Perante estes resultados que, naturalmente nos animam, assumimos o compromisso e desafio de prosseguir e fazer com que a nossa empresa continue a registar esses índices de crescimento, de modo a que possamos contribuir para o desenvolvimento do nosso País”- frisou Victor Gomes.

A Cerimónia de Abertura foi dirigida pelo Secretário Permanente do Ministerio dos Transportes e Comunicações, Dr. Pedro Inglês, que referiu ser expectativa do Governo, ver concretizados os Projectos de reabilitação e construção das infra-estruturas ferro-portuárias tendo em vista o desenvolvimento do País e da Região. “No Corredor Norte esperamos ver a breve tre-cho o início das operações da linha férrea que liga Moatize a Nacala-a-Velha passando pelo Malawi e o termo da reabilitação Cuamba/ Lichinga. reuniaodirectores3No Centro, a conclusão das obras de reabilitação e aumento de capacidade das linhas de Sena e de Machipanda vão dinamizar a economia nacional naquela parcela do país bem assim o incremento das trocas comerciais entre o nosso país e o vizinho Zimbabwe. O sistema ferro-portuário sul, a implementação do Projecto de Reabilitação, Modernização e Expansão da Linha de Ressano Garcia, Portos de Maputo e Matola Gare de Mercadorias, são alguns exemplos de resultados de médio prazo que esperamos ver concretizados sob liderança da Empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique”, referiu o Secretário Permanente.