CFM - Caminhos de Ferro de Moçambique

PCA2Excelentíssimos Senhores Membros do Conselho de Administração;
Excelentíssimos Senhores Directores Executivos e por Função;
Digníssimos Senhores Consultores e Assessores;
Estimados Senhores Representantes Comerciais;
Distintos Convidados;
Caros colegas;
Minhas Senhoras e meus Senhores;

Dr. Victor Gomes, Presidente do Conselho de Administracao do CFM

Permitam-me, antes de mais, manifestar a minha satisfação em integrar esta maravilhosa família ferro-portuária, como membro desta magnífica empresa secular, com tradição própria e um legado de incomensurável valor.

Falar dos Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique é falar de um dos alicerces da economia nacional e regional pelo seu papel fundamental no transporte e manuseamento de mercadorias, através dos nossos sistemas ferro-portuários do Norte, Centro e Sul, que servem ao país e aos países do hinterland, sem, no entanto, descurar o transporte de passageiros – nossa importante contribuição na facilitação da mobilidade das populações e seus bens.

Caros Colegas,

Estou ciente de que assumo o cargo de Presidente do Conselho de Administração desta Empresa Estratégica, num momento particularmente de múltiplos desafios. O país está a registar um crescimento assinalável no domínio de trocas comerciais e da produção alimentar. O fluxo de mercadorias a circular cresceu. Assim, por um lado, o escoamento de mercadorias é uma necessidade vital. Os camponeses esperam colocar os seus produtos nos postos de venda em tempo útil.

Por outro lado, as crescentes descobertas de minerais e hidrocarbonetos em diversas regiões do país e nos países do hinterland, demandam respostas logísticas para o escoamento e manuseamento portuário dos mesmos.

Neste contexto, os CFM são chamados a dar respostas concretas e céleres, através do fomento de investimentos na reabilitação, expansão e modernização da rede ferro-portuária nacional. Precisamos de dar continuidade aos projectos em curso, em carteira e futuros; na formação e adequação da nossa força de trabalho, bem como na capacitação da empresa em meios de tracção e material circulante, para garantirmos a circulação de pessoas e mercadorias com segurança.

Estou a herdar, segundo pude perceber dos relatórios de desempenho e outras informações a que tive acesso, uma empresa que vem registando um crescimento assinalável quer no desempenho financeiro como no transporte de passageiros e mercadorias e no que tange ao desenvolvimento de infra-estruturas ferro-portuárias. Temos, por conseguinte, uma responsabilidade acrescida de fazer vingar o papel estratégico dos CFM, para que se mantenha funcional, viável e merecedora de confiança, mesmo diante dos actuais e futuros desafios.

Assim, reconhecendo a riqueza de experiência e de conhecimentos que os nossos quadros acumularam ao longo dos anos e ainda o facto de muitos de vocês terem participado, activamente, em todo o processo de mudanças que foi necessário instaurar, tanto no sector portuário como no ferroviário, e para lograr os melhores êxitos, gostaria de convidar os gestores, consultores, assessores, técnicos, operários, ou seja, todos os trabalhadores em geral (da via e obras, das oficinas, da revisão do material, do movimento, da tracção, das manobras, dos portos e das áreas de apoio, entre outros) à participação activa e incondicional em todos os processos e actividades do dia-a-dia da nossa empresa.

Acredito que a inclusão de todos os quadros da empresa em todos os processos, é uma mais-valia, porque permite aglutinar experiências, saberes e visões que são alicerces de decisões sábias, informadas e oportunas para que possamos, em todas as áreas, continuar a prestar serviços de qualidade que todos nós almejamos.

Contamos, conforme tem sido tradição nesta família, com o apoio dos órgãos sindicais na resolução dos possíveis conflitos que possam afectar de forma nefasta o desempenho da nossa valiosa massa laboral.

Na nossa liderança continuaremos a privilegiar o diálogo por isso, a interactividade, a inclusão, a participação de todos, são aspectos que sempre teremos em conta e iremos cultivar.

Para terminar, gostaria de reiterar o nosso apelo ao comprometimento de todos, cada um no seu sector, à disciplina, profissionalismo, responsabilidade, empenho, respeito, exigência e transparência, lutando sempre pelos objectivos empresariais e rigor no trabalho para atingirmos a eficácia e eficiência necessárias na prestação dos serviços aos nossos clientes e ao público em geral.

Pela Vossa atenção,
Muito obrigado!

Maputo, 05 de Fevereiro de 2014